Apresentando a escrita criativa

 

 

O Universo

 

 

universo

Pense em uma página vazia como o espaço sideral. Ele não possui nenhuma dimensão; ali, o tempo humano não faz nenhuma reivindicação. Tudo é possível neste momento, interminavelmente possível. Tudo, tudo mesmo, pode crescer nele. Qualquer pessoa, real ou imaginária, pode viajar para lá, ficar parada, ou seguir em frente. Não há restrição, exceto a honestidade do escritor e do escopo da imaginação – qualidades com as quais nascemos e características que podemos desenvolver. Escritores podem ser natos ou construídos.

Poderíamos dar forma a um mundo inteiro neste espaço da folha em branco, ou mesmo encaixar nele vários mundos, suas latitudes e longitudes, universos paralelos. Se preferíssemos, poderíamos colocar apenas umas poucas palavras ali, apenas o suficiente delas para mostrar a presença da vida da linguagem.

Ao escolher agir, escrevendo nessa página, estamos criando uma outra versão de tempo; estamos criando uma nova versão da existência, da vida mesmo.

 

 

Por que escrever

 

 

escrever_criativamente

A escrita é tão absorvente e envolvente que ela pode fazer você se sentir mais vivo, mais concentrado, até eufórico. O processo centra, ao mesmo tempo que distrai; a rotina é viciante.

Muitas vezes o processo de escrita é até mais gratificante do que o resultado, mas, quando você captura algo luminoso ou tem aquele insight, aquela sensação de descoberta e de maravilha, ela nada através das palavras e dá piruetas na página. Há um prazer em encontrar a precisão em uma descrição, em narrar determinada situação ou elaborar um sentimento.

 

grifei num livro

(Quem nunca sublinhou aquelas frases que dizem exatamente aquilo que você pensava mas ainda não havia conseguido encontrar as palavras certas? A imagem acima é do Tumbrl “Grifei num Livro”, e o trecho é de A Sombra do Vento, do Carlos Ruiz Zafón)

 

Alguns escritores acham a própria prática da escrita terapêutica; e alguns professores da escrita acreditam que escrever é uma poderosa ajuda a vários tipos de terapia, do tratamento da depressão a reabilitação social. Mais precisamente, a escrita pode contribuir para o autodesenvolvimento e autoconhecimento. A escrita te acorda – ela força você a enxergar além de sua inteligência e atenção cotidianas – e qualquer coisa que faz você pensar e perceber com mais clareza e expansivamente o mundo e as pessoas torna você mais sábio, certo? O exercício de escrever oferece novas perspectivas de encontrar a si mesmo e compreender os demais.

Sim, às vezes você vai se sentir completamente impotente, como se a linguagem nunca tivesse existido em você ou para você. Há tempestades e bonanças no ofício de escrever.

 

Você pode se tornar um bom escritor,
assim como você pode se tornar um bom carpinteiro:
em ambos os casos trata-se de aparar arestas ” – Anatole France

 

Escrever é reescrever, e o personagem do escritor é reescrito pela atividade de escrita e reescrita. Se você está interessado na energia da linguagem, ao invés de simplesmente sonhar em “ser um escritor”, então você tem uma boa chance de se tornar um escritor.

Pense que o universo é uma página em branco; até você começar a escrever nela.


[Escrita Criativa é escrever.]

 

Ficou com vontade de começar? Clica aqui: vai ter turma nova em junho!

* Texto adaptado de “The Cambridge Introduction to Creative Writing”, de David Morley